top of page
  • Foto do escritorDr Jhonatan Pinheiro

Quando se preocupar com as pintas?




Aquelas pintas marrons ou enegrecidas (os nevos melanocíticos) que muitos de nós apresentamos em número variável, podem representar algum problema? Não necessariamente, mas se sabe que quanto maior o número de pintas de uma pessoa, maior o risco do aparecimento de um câncer de pele muito temido: o melanoma. Atenção a alguns sinais:


1- SINAL DO "PATINHO FEIO":

Mesmo nos indivíduos com múltiplas pintas, o que costumamos observar é um padrão no aspecto das lesões, sendo a maioria delas muito semelhantes entre si. Caso apareça alguma lesão diferente, o "patinho feio", vale a pena uma avaliação pelo dermatologista para uma definição diagnóstica.


2- HISTÓRIA DE CÂNCER DE PELE NA FAMILIA:

Se há histórico de câncer de pele na família, um check-up anual, pelo menos, está indicado.


3- ABCDE DAS PINTAS:

Assimetria: cuidado com as pintas assimétricas

Bordas: cuidado com as bordas irregulares

Cores: suspeita quando tem 2 ou mais cores

Dimensão: especial atenção às lesões maiores de 6 mm.

Evolução: Atenção especial à evolução da pinta. As pintas comuns podem crescer, mas estacionam em determinado ponto. Aquela lesão que cresce indefinidamente, mudando de cores e aspecto e tamanho, deve ser avaliada pelo especialista.


Na presença de lesão suspeita, não há necessidade de ansiedade e desespero, pois geralmente uma boa avaliação clínica e um exame das lesões com mais detalhes (em geral usando um aparelho específico, o dermatoscópio), podemos definir o diagnóstico. Em alguns casos, a retirada ou a biópsia das lesões são necessárias, e quando o tratamento é feito precocemente, mesmo que seja câncer de pele, há excelentes taxas de cura.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page